kalo

Quem é vivo aparece… e volta trazendo dica boa para compensar o sumiço de alguns meses hahaha

Há duas semanas, resolvi passar no CCBB aqui em Brasília com minha sobrinha admito, fui lá só para procurar Pokemon hahaha e, dando uma olhada na programação cultural, descobrimos uma montagem da Cia Os Buriti – Teatro de Dança. Tinha compromisso no dia em questão, mas prometi para a Letícia aka minha sobrinha que retornaríamos no dia seguinte para ver a peça. Melhor decisão que eu tomei naquele fim de semana!!!!!

Eu não me recordo da última vez que vi uma peça tão linda, tão leve e tão respeitosa como Kalo – Filhos do Vento.

A montagem é baseada em texto de Maurice Durozier e celebra a riqueza cultural e histórica dos ciganos por meio de suas lendas e histórias tradicionais. Em Kalo, acompanhamos a história da cigana Suki – uma contadora de histórias que quer salvar a memória de seu povo – e de Baxt – um “fantasma”, também conhecido como a sorte cigana que a protege ao longo de toda a sua trajetória. Não vou falar da história porque o nome disso é spoiler hahaha Não quero estragar nada para quem possa resolver conferir a peça nesse fim de semana ;P

Kalo encanta não só pela história, mas pelo modo como é contada; a Cia Os Buriti usa o teatro de sombras e música original, executada ao vivo palmas e mais palmas para os músicos, para nos envolver no universo de Suki e Baxt. Transitamos entre o mundo real e o imaginário, enquanto acompanhamos a viagem da contadora de histórias ‘pela Europa’. As danças e músicas envolvem adultos e crianças nesse universo mágico e praticamente não vemos a hora passar.

Apesar de ser livre para todos os públicos, a essência do texto, para mim, é melhor compreendida por adultos – ou por aqueles que já passaram pela experiência de perder alguém.

Mas é aquela coisa: o foco dos espectadores não necessariamente é igual; o que as vezes mexeu mais comigo, pode não ter feito muita diferença para outra pessoa que assistiu a mesma peça. Assim sendo, indico sim para todas as idades <3 e todas as crianças que assistiram no mesmo dia que eu pareceram gostar bastante!!!

Foi a primeira vez que vi um texto tratar a morte de modo tão leve e tão respeitoso. A reflexão pós apresentação me encheu de saudades e me fez revisitar memórias que encheram meu coração de alegria. Isso por si já me leva a recomendar Kalo – Filhos do Vento para todos vocês que acompanham o A Vida Segundo a Deh.

A montagem ainda está em cartaz nesse fim de semana no CCBB de Brasília:

Dia 1 de outubro – 19h (primeira sessão) e 20h30 (segunda sessão)

Dia 2 de outubro – 19h (sessão única)

Os ingressos são gratuitos e podem ser retirados, salvo engano, a partir de 17h (no dia da apresentação ) na bilheteria do CCBB.

xoxo

Deh ;*